24 de maio de 2014

RESENHA | Um Lugar para Ficar - Deb Caletti

"Alguns segredos são fortes o bastante para destruir você."


 Novo Conceito, 271 páginas.
O relacionamento de Clara com Christian é intenso desde o começo e diferente de tudo o que ela já havia experimentado. No entanto, o que começa como um grande afeto rapidamente se transforma em obsessão, e já é muito tarde quando Clara percebe que as coisas foram longe demais e que Christian está disposto a fazer de tudo para ficar ao seu lado. Então, Clara parte da cidade e Christian fica para trás. Ninguém sabe onde ela está, mas, mesmo assim, Clara ainda luta para se livrar do medo. Ela sabe que Christian não vai permitir que ela suma tão facilmente. Não importa para onde ela vá, nunca será longe o bastante...

O lado bom de ter o hábito de ler é que você aprende a ser mais crítica com as leituras e com o tempo aprende a refinar seu gosto. E o lado “ruim” é exatamente esse. “Ruim” porque depois de tantas leituras, para que um livro surpreenda você ele precisa extrapolar todas as suas expectativas, e não é sempre que isso acontece. Contudo já faz mais de 1 ano que li “Um Lugar Para Ficar” e essa história permanece em meu coração.

Deb Caletti tem uma forma muito doce e muito sábia de narrar, tive vontade de sublinhar todo o livro, tamanha a inteligência, a doçura e a emoção na qual suas palavras estão imersas.

“Nunca ninguém me dissera que um estranho poderia ser alguém conhecido.”
  
O livro é narrado em 1ª pessoa, por Clara Pea, nossa jovem protagonista, que divide sua narração em capítulos que ora contam o passado, ora contam o presente. Juntamente com sua narração fluída e descomplicada temos as notas de rodapé usadas por Clara para explicar alguma coisa que ela mencionou no texto.

Nos capítulos ímpares conhecemos sua história com Christian Nilsson, um rapaz que a primeira vista é gentil, encantador e carinhoso. Clara sente que encontrou o amor e mergulha de cabeça nessa história. Já nos capítulos pares acompanhamos sua trajetória de superar o passado e curar as feridas que um amor obsessivo deixou.

“Eu tinha amado essa pessoa. Nós tínhamos deitado juntos, pele com pele, estive tão perto dele como duas pessoas jamais estiveram, e ainda assim ele era um estranho.”

Em meio a isso temos a relação linda que a autora desenvolve entre pai e filha, onde ele faz de tudo para protegê-la e se interessa genuinamente pela vida dela, pelos seus sonhos e por sua felicidade. Diante da situação ele se muda com Clara para uma praia para que ela possa respirar um novo ar e focar sua atenção em construir uma vida nova, para tentar esquecer o trauma pelo qual passou.

“Meu pai, Bobby Oates¹, disse que amor à primeira vista deveria fazer a gente sair correndo se sabemos o que é melhor para nós. É o seu lado sombrio reconhecendo, instantaneamente, o lado sombrio do outro, diz ele. Você será um idiota se achar que isso significa ter encontrado sua alma gêmea. Então, eu fui uma idiota, pois ele parecia tão legal. Ele era legal.”
    
Porém, será que essa mudança tornará possível construir um novo presente quando ainda temos amarras com o passado? Clara vai descobrir da maneira mais perigosa que fantasmas do passado estão à espreita para destruir sua nova vida.

A construção dos personagens de Deb é impecável, e eles se apresentam através dos diálogos, conhecemos o perfil psicológico deles sem que o foco seja exatamente a descrição de cada um deles. Dentre os personagens mais marcantes conhecemos Finn Bishop e sua família fofa, e com ele Clara finalmente encontra segurança.
 

Ao lado de Finn, naquela cidade praiana, ela vai recomeçar de verdade. Depois de sofrer, de lutar, de desvendar segredos do seu próprio passado, depois de enfrentar seus medos, ela enfim poderá se curar e seguir em frente.
 

Um enredo carregado de sensibilidade, conflitos e reviravoltas. Também é bastante denso, o que confere veracidade ao enredo, que mesmo caracterizado assim em nenhum momento se torna cansativo ou perde o ritmo de narração. Parágrafo a parágrafo o leitor é conquistado por uma escrita leve, uma linguagem simples e por personagens que você quer encontrar, conhecer, dizer que acompanhou a história deles e que até mesmo um ano depois segue se perguntando como estará Clara Pea.

 
Estará feliz em seu apartamento que cheira a manteiga? Largou o trabalho e começou a faculdade? Decidiu abrir uma biblioteca? Não sabemos.
 
A única certeza que fica é que “Um Lugar Para Ficar” encontrou um lugar de honra em meu coração literário, e espero que tenha a chance de encontrar um em seu coração também ♡

E aí, gostou da resenha? Por favor, comenta aqui embaixo e não me deixe curiosa :D

3 comentários:

  1. eu pensei assim " OMG preciso ler" hahaha essa resenha sobre o livro me conquistou, já deu a maiorm vontade de ler, já estou com vários livros na fila mas vou ler hahaha <3
    www.doceliterario.wordpress.com

    ResponderExcluir
  2. Oii tudo bem ?
    Esse livro tá na minha fila de livros para ler, e sua resenha me deu confiança pra ler sabendo que é bom. É tão ruim quando a gente pega um livro e se decepciona né?
    Ainda bem que nesse caso vc teve só coisas boas. espero que comigo tb seja assim...
    Amei seu cantinho, suas resenhas são ótimas.

    Beijos, Ivana
    http://omundinhoderebecca.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Esse é um livro que eu amei ler. Também achei ele muito sensível e tocante e serve como alerta, por que as vezes a gente que pensa que só estranhos podem fazer esse tipo de coisa, mas não, conhecidos podem se revelar pessoas perigosas. Li outro livro da autora que gostei e espero que a NC lance mais livros dela por aqui!

    Bjs, @dnisin
    www.seja-cult.com

    ResponderExcluir

Sua opinião alimenta minha criatividade, então você pode contribuir para um blog melhor simplesmente comentando :D Para dúvidas, sugestões ou bater um papo, mande e-mail para agarotadalivraria@gmail.com