28 de março de 2014

RESENHA | Escolhida – Série House Of Night – vol.III, P.C. Cast & Kristin Cast



*Esse livro participou da Maratona Literária de Fevereiro


284 páginas, SKOOB

  
   Escolhida começa no dia do aniversário de Zoey, e seus sentimentos estão mais conflitantes do que nunca. Neste volume somos bem situados em relação à passagem de tempo, uma coisa que eu não havia notado nos outros livros. Marcada e Traída compreendem o período de 2 meses da nova vida de Z., o que a primeira vista parece pouco tempo, contudo a vida de uma novata que ameaça o poder de um líder não é mesmo lá tão simples.

   No terceiro volume da série, Zoey passa por provações ainda maiores, pois dessa vez não pode contar tudo o que sabe para seus amigos, uma vez que se fizer isso estará colocando-os em perigo. E por essa limitação ela acaba se aproximando de quem menos imaginava. A horda de nerds não entende porque Zoey pode confiar em Aphrodite, a pessoa mais detestável de toda a escola na opinião deles, e neles não. Por isso viram as costas para ela e passam a ignorá-la por não entenderem o motivo de a novata ter escondido tantas coisas importantes deles.

“Meu estômago se revirou e um nó apertado se formou. Eu quis me jogar na grama, chorar e implorar. Não deixem de ser meus amigos, não deixem de confiar em mim! Mas não fiz nada disso. Não podia. Afinal, eles tinham razão.”

   Z. tem o coração despedaçado novamente, por mentiras e por mais mortes que rompem de vez o clima de segurança e paz que havia na Morada da Noite. E ainda que tudo comece a ruir e o medo esteja cada vez mais presente, Nyx jamais abandona seus filhos, aqueles que honram os princípios da Deusa jamais estarão sós.

“-Nyx não a abandonou e eu não a abandonei – ignorei seu fedor e lhe dei um abraço forte, que ela não correspondeu, mas pelo menos não se afastou de mim nem me arrancou um pedaço do pescoço, de modo que achei que já foi um progresso. – Vamos. O lugar que arrumei para você e logo ali, descendo a rua.”

   Apesar de ter evitado falar sobre os romances de Zoey nos dois primeiros volumes, por achar que isso tiraria a graça da primeira leitura, agora me sinto a vontade para fazer comentários.

   Heath é o humano com o qual Z. tem uma história desde a infância, e mesmo que ela tenha sido marcada ele não se importa com isso, ele tem certeza de que quer ficar com ela independente da nova condição. Heath tem uma inocência, uma fé cega no que sente por Z. que acaba tornando difícil para ela fazê-lo entender que querendo ou não, as coisas mudaram. E é difícil dizer adeus a algo confortável, de certa forma ele foi o primeiro amor dela.
 

  Há outras coisas em jogo também, e apesar dela conhecer outras pessoas, minha torcida até aqui é pelo Heath. Mesmo sendo apenas um humano ele mantém Zoey com o pé no chão, não deixa que ela fique muito louca com as consequências de ser uma novata tão diferente. E fora que ele é um fofo, que amadurece para poder estar com Z.

“–Zo, tem muita coisa para ler sobre vampiros, mas nada do que li diz que sua Deusa é má. Acho que você não deve se esquecer disso. Nyx lhe deu poderes, mas acho que ela não vai gostar se você os usar de modo errado – ele olhou para a estrada ao longe, onde uma cena feia se desenrolava – Não seja má, Zo. Nunca.”

   O enredo segue viciante, começando em um ponto aparentemente comum e a medida que as páginas vão passando ele se torna frenético e você só para quando chega a última página. Escolhida é um livro marcado pelas reviravoltas, pelas emoções intensas e por cenas de tensão muito bem construídas.

  A edição, infelizmente, está bordada de erros de formatação e alguns trechos realmente causam confusão durante a leitura.

   Estou aqui pensando em pontos negativos a respeito do enredo. E não consigo citar nada.

   A trama é bem costurada pelas autoras, as cenas convencem e você esquece que aquilo tudo é ficção ~e chora de tristeza~. Claro que eu julguei Zoey por suas atitudes, e muitas vezes quis dar umas boas chineladas nela. Porém, quem sou eu para julgar? Em alguns momentos nós mesmos agimos sem muita lógica, imagina uma personagem que está a ponto de carregar o mundo nas costas?

   Não acho que algumas atitudes tenham justificativa, mas não cabe a mim condenar. Estou aqui para morrer de curiosidade sobre o que acontece em seguida, e me sinto integrante do grupinho dela, e quando dou a mão para alguém sinto que meu dever é ajudar, não ficar esfregando na cara as idiotices feitas. Amizade é isso né gente.

  Uma série que se supera a cada volume, recomendadíssima. Vou ali correr para ler o próximo. Embarca nessa comigo e depois corre aqui para me contar o que tu achou ;D


Beijoux ;*

Um comentário:

  1. Oi, tudo bem?
    Já faz um tempinho que li a série (até o livro 7, se não me engano), mas lendo a resenha consegui relembrar de todos os personagens e senti falta do Heath. Até onde eu li, continuei torcendo por ele.. rs
    Muitos dizem que a série se prolongou demais e perdeu a graça, mas no meu ponto de vista ela continua a mesma de sempre, com ideias criativas das autoras e muita ação e reviravolta. Eu adoro, espero que você continue gostando dos próximos volumes :)
    Beijos e boas leituras!

    ResponderExcluir

Sua opinião alimenta minha criatividade, então você pode contribuir para um blog melhor simplesmente comentando :D Para dúvidas, sugestões ou bater um papo, mande e-mail para agarotadalivraria@gmail.com