8 de fevereiro de 2013

BookTour | Jogos Vorazes – Suzanne Collins



397 páginas, Rocco, Trilogia Completa*.

*3 livros já publicados no Brasil.

Fenômeno mundial com milhões de cópias vendidas mundo afora, Suzanne Collins se lançou para o mundo em 2008 para ser a nova rainha da Distopia.

Pois bem, quando criei o blog, lá em 2011, disse que não costumava ler os livros que viravam fenômenos de vendas enquanto eles estivessem no auge. Sempre tive receio de que o furor da novidade atrapalhasse minha leitura.

Então 3 anos depois de seu lançamento no Brasil finalmente me senti pronta para conhecer a obra tão famosa de Suzanne, através do Book Tour organizado pelo blog Lendo e Comentando.


Expectativas altas = decepção.

A escrita de Suzanne é algo que definitivamente não me conquistou. Ao invés de me conectar com seus personagens, ela me afastou. Katniss não desperta empatia, Peeta é uma mocinha assustada e Gale, que poderia salvar tudo, tem menos espaço do que deveria.

Katniss Everdeen tinha tudo para ser uma heroína completa e complexa. Contudo uma samambaia desperta mais interesse do que ela. Peeta tinha tudo para ser um galã irresistível com aquele jeito de “fisicamente forte e emocionalmente sensível”, mas um cactus tem mais emoção do que ele. [não queiram arrancar meus rins, por favor.]

Talvez se narrativa fosse em 3ª pessoa, com um narrador onisciente, salvaria minha leitura. A superficialidade dos personagens apresentados por Katniss enjoa e talvez por isso eu considere que acompanhar os fatos através da sua ótica seja o ponto crítico do livro. Como mencionei antes, não consegui me sentir próxima a ela, em momento algum. E se o personagem me repele, como vou gostar do livro?

Além do mais quando ela e Peeta são levados para a Capital o luxo apresentado a eles, antes de serem levados para a Arena (local onde os tributos lutam até a morte), é tão forçado que chega a dar vontade de jogar o livro pelos ares. É claro que em uma sociedade pós-apocalíptica o dinheiro brota da terra, não é mesmo? Sim, muitos dirão que isso é só o pilar da distopia, e tudo mais. O fato é que mesmo alegorizando a estrutura da sociedade, com a questão da concentração do poder na mão de poucos, o efeito soou falso e não serviu para despertar qualquer vontade de refletir sobre a forma como somos manipulados pelo governo na realidade.

Um rótulo de shampoo me desperta mais inquietações do que toda essa coisa de "um novo mundo governado pela Capital que mantém os habitantes em trabalho escravo e evita rebeliões demonstrando seu domínio sobre os habitantes através da realização anual dos Jogos Vorazes, programação transmitida ao vivo em todo o país Panem (nação formada por 12 distritos. Muito embora há muitos anos atrás existisse um 13º distrito.)"

E uma distopia que se preze precisa soar verdadeira. Não é mesmo?

Entretanto existem alguns pontos positivos. [ouço murmúrios de “aleluia” nesse instante ou é só impressão?]

O 1º é a densidade das descrições do combate realizado entre os chamados tributos (uma garota e um garoto entre doze e dezoito anos de cada distrito, totalizando 24 concorrentes.). Aqui é o único momento onde consigo ver Katniss com um pouco de humanidade sincera.

O 2º ponto é a empatia que Gale, apesar de pouco espaço, consegue passar. Mesmo através dos olhos de Katnip, Gale parece ser o único personagem que passa veracidade, como se todos os outros fossem demasiadamente forçados, caricatos. A habilidade de Suzanne é fazer com que queiramos saber mais de personagens que pouco aparecem do que dos próprios protagonistas. Como é o caso da irmã mais nova de Katniss, Primrose. Ela foi originalmente escolhida como o tributo do Distrito, mas para poupá-la Katniss se oferece para ir em seu lugar. Prim, Gale, e até mesmo o padeiro conseguem te despertar mais interesse do que a protagonista.

Em relação à parte gráfica, não notei erros de grafia/concordância. Apesar de não simpatizar com a capa ela resume bem a atmosfera do livro.

O enredo já foi adaptado para o cinema, “Jogos Vorazes” foi lançado em Março/2012 e sua sequência “Em Chamas” tem previsão de lançamento para Novembro/2013.

Infelizmente o livro sucesso mundial de vendas não funcionou para mim.

Meus argumentos estão aqui e agora quero ver os de vocês nos comentários, ok?
 
Beijoss ! /bye

2 comentários:

  1. Eu também tenho certo receio em ler livros famosos demais pq eu simplesmente acabo (maioria das vezes) não achando eles com aquela bola toda.
    Apesar que Jogos Vorazes é até um dos meus desejados, mas não seria surpresa se eu me decepcionasse com ele.
    Odeio quando os personagens são substanciais.
    Gostei de sua resenha :D
    Bjss
    sete-viidas.blogspot.com
    @moniqueQuimbely

    ResponderExcluir
  2. Oi Flor,
    Estou contigo, também tenho esse receio flor, por isso muitas vezes não leio rs.
    Essa trilogia ganhei de aniversário e está aqui na estante desde de então rs.
    Estou esperando minhas expectativas diminuírem.
    Gostei bastante da sua resenha que me fez repensa ainda mais a respeito desse leitura, vou espera mais um pouco rs.
    Beijos

    Mari - Stories And Advice

    ResponderExcluir

Sua opinião alimenta minha criatividade, então você pode contribuir para um blog melhor simplesmente comentando :D Para dúvidas, sugestões ou bater um papo, mande e-mail para agarotadalivraria@gmail.com