10 de setembro de 2011

RESENHA | Uma Proposta Irrecusável - Jill Mansell

 

 408 páginas, Novo Conceito

Nada poderia separar Lola e Dougie, a não ser a mãe dele... quando ela faz a jovem Lola uma proposta irrecusável. Neste mesmo momento, ela descobre algo que pode mudar a vida de sua família. Ela se convence que Dougie pode deixa-la a qualquer momento, ainda mais agora que ele está indo para a faculdade em outra cidade. Sendo assim ela acredita que a única forma de salvar sua família é aceitando a proposta da futura sogra...

Conheci este livro por meio de um desses folhetos de divulgação que vem dentro de outros livros, sabem? Li uma parte do primeiro capítulo e posso dizer que instantaneamente morri de amores. Fiquei pensando: Realmente quero ler esse livro, o mais rápido possível! 

O livro narra a história de Lola Malone, que é apaixonada por Dougie Tennant e odiada pela mãe dele, a rica e um tanto esnobe Adele Tennant, ~ainda por cima o sobrenome dela é o nome de uma história que comecei a escrever há um tempo atrás. Ninguém perguntou, eu sei. Voltando~ e não é só uma implicância à toa, a mãe do garoto deixa bem claro para Lola que a garota não está à altura de Dougie e está disposta a fazer qualquer coisa para mantê-la longe dele. Definitivamente.

Em função dessa opinião a Senhora Tennant faz a Lola uma proposta. Que aos olhos de muitos seria realmente uma Proposta Irrecusável. Mas Lola sabe que é errado e fica muito chateada, para não dizer raivosa, com a mãe de Dougie.

Mas como essa vida nos surpreende de forma louca, Lola se vê diante de uma situação que poderia ser evitada caso ela aceitasse o que a Senhora Tennat propôs. Neste momento tomamos conhecimento de outra grande história de amor, a de Lola com o padrasto. E eu achei linda a forma como a escritora coloca os diálogos entre eles, e o rumo dos fatos também, a atitude de Lola foi muito bonita.
 

O livro, em alguns momentos torna-se muito real, como se essa história pudesse estar acontecendo nesse instante, em algum lugar do mundo. E eu adorei que Jill Mansell colocou a protagonista como amante dos livros. Além da escrita maravilhosa e leve é interessante ver que a Lola não é aquele tipo de mocinha que sempre faz a coisa certa na hora certa. Ela é orgulhosa, mas muitas vezes pisa no orgulho quando corre atrás do que quer e não tem medo da interpretação alheia, ela age como a situação pede, sem ficar refletindo horas e horas. E muitas vezes eu senti vontade de abraçá-la quando ela percebe que está na hora de desistir e simplesmente seguir seu caminho. Esse é um dos momentos dos quais mais gostei e achei bem real e bem sentimental.

Inclusive não só nessa passagem, mas em várias outras o senso de humor de Lola é bem aparente. Mesmo triste ela ainda faz piada.


“-Então é isso. Eu basicamente me tornei a maior idiota da face da Terra, mas acabou. Dougie não está interessado em mim, e finalmente eu aceitei isso. Eu dei o meu melhor e falhei. É hora de tirar o time de campo. Como todos adoram dizer há muitos peixes no oceano. – Lola mordeu o lábio. – Embora sempre que alguém diz isso a vontade que tenho é de pegar um peixe grande e dar com ele na cara dela.”

Durante as reviravoltas da sua vida ela acaba encontrando uma nova amiga, Sally Tennant, a irmã bagunçada e solteirona de Dougie. A personalidade de Sally é interessante, ela é bonita e elegante, porém é uma bagunceira de primeira que deixa o amigo de Lola, o maníaco por limpeza, Gabriel Adams, ou apenas Gabe, maluco.

O mais interessante é que por mais que Lola e Dougie sejam, por assim dizer, os protagonistas do livro, você também sente vontade de que os outros personagens encontrem seus caminhos e sejam felizes, você se interessa em saber que rumo eles tomarão, compreendem? Jill tem a incrível capacidade de ligar as histórias de cada personagem a um eixo central, fazendo com que cada um tenha o seu papel na história, nem a mais nem a menos.

A leitura desse livro foi uma grata surpresa, ele correspondeu e muito as minhas expectativas. No início eu achei a capa meio “pobrinha” (achei que podia ter mais... impacto sabe?), mas após ler o livro eu percebi que ela representa maravilhosamente bem a história, ela é simples, bela e com detalhes que vão se sobrepondo. Assim como o amor de Lola e Dougie.


“Era assim que os católicos se sentiam quando se confessavam e eram absolvidos de seus pecados por Deus? Lola, que odiava chorar na frente das pessoas, mas que parecia ultimamente ter abandonado o hábito, sentia as lágrimas rolando cada vez mais rápidas no seu rosto. Ela não conseguia falar, apenas balançava a cabeça de forma desesperada, atrapalhada, de um lado para outro.”

Leitura altamente recomendada. Parabéns a editora Novo Conceito pelo capricho com a edição limpa e impecável.


Curtiu a resenha? Comenta aqui embaixo que tô curiosa para saber a tua opinião :D

2 comentários:

  1. Oi Loola!

    Eu quero muito ler esse livro, sua resenha me deixou curiosa ;)

    Beijokas

    ResponderExcluir
  2. Heey Érica, é um livro ótimo, super recomendo ;)
    Obrigada por comentar *__* Super beijo :*

    ResponderExcluir

Sua opinião alimenta minha criatividade, então você pode contribuir para um blog melhor simplesmente comentando :D Para dúvidas, sugestões ou bater um papo, mande e-mail para agarotadalivraria@gmail.com