1 de agosto de 2011

RESENHA | A breve segunda vida de Bree Tanner, Stephanie Meyer


190 páginas, Intrínseca
 
Pela primeira vez Stephenie Meyer oferece aos fãs uma nova perspectiva do universo de "Crepúsculo". Na voz de Bree Tanner, uma jovem vampira integrante do violento exército de recém-criados que assola a cidade de Seattle no terceiro volume da série, "Eclipse", somos apresentados ao lado sombrio da saga. Bree vive nas trevas, sedenta por sangue. Não conhece sua verdadeira natureza e não pode confiar nos de sua espécie. Sua breve história acompanha a semana que antecede o confronto definitivo entre os recém-criados e os Cullen - a última semana de sua existência.

*Observação: Contém spoilers do livro

Creio que muitos já devem ter ouvido falar a respeito desse livro, eu particularmente fui conhecê-lo através do Submarino. E exatamente neste dia ele estava em promoção por R$ 9,90. E se tem uma coisa a qual eu não resisto é a promoções. (Resisto até ao guardião Belikov de Academia de Vampiros, agora resistir a uma promoção... Complicado né?)

O fato é que é qualquer um que tenha lido o Livro Eclipse – Saga Twilight sabe como a história de Bree termina. E sinceramente, não esperava grande coisa do livro.

Mas como a vida é surpreendente, eu me surpreendi com a Tia Steph, e bato palmas para esse livro também. Creio que dependendo do livro é melhor lê-lo sem expectativas, sem nenhum prejulgamento. E esse foi um exemplo disso.

A história se passa em um formato diferente, como um capítulo único, e é narrado em 1ª pessoa, mostrando como é o mundo para vampiros como Bree. Um mundo nada romântico, diga-se de passagem.

Nessa jornada de luta pela sobrevivência ela acaba encontrando e se envolvendo com um vampiro que é diferente dos outros do bando liderado por Riley, o braço "esquerdo" de Victória, que pretende reunir um exército que possa destruir os Cullen, já que a vampira loura busca vingar a morte de James, seu antigo companheiro que perseguiu Bella em Crepúsculo e foi morto pelos Cullen.

Os recém-criados não sabem o motivo de estarem sendo reunidos. Sabem apenas que irão lutar contra outro grupo de vampiros de olhos amarelos, e que após destruí-los terão mais sangue humano a sua disposição. E essa é a história que Riley sustenta a eles.

Esse livro também esclarece um ponto que pairava na minha cabeça e acredito que na de outros também, o porquê dos Volturi terem demorado tanto para chegar à cena da luta? Teria sido premeditado? Isso pode ser descoberto durante a leitura.

Eu confesso que após conhecer a vida de Bree desejei que o destino dela fosse diferente, mas não gostaria que fosse junto com os Cullen.


- Cuide disso, Felix – disse Jane indiferente, apontando para mim com um movimento de cabeça. – Quero ir para casa.
- Não olhe – sussurrou o leitor de mentes de cabelos cor de bronze.
Eu fechei os olhos.

No mais, adorei a capa que ficou bem sombria e condizente com o rumo da história, uma vez que o “t” do nome Bree Tanner parece uma cruz. Ainda não tinha lido um livro sabendo o seu fim, mas Stephenie Meyer conseguiu me conquistar, como sempre ♥.

Adorei que a lombada e a capa seguem o estilo dos livros de Crepúsculo, assim eles ficam lado a lado e ficam combinando :D




Agora me conta aí nos comentários: é fã de Crepúsculo e curtiu saber mais sobre o mundo vampiro? Ou é daqueles que não suporta mais e reza pra febre dos vampiros brilhantes passar logo?

0 Comments:

Postar um comentário

Sua opinião alimenta minha criatividade, então você pode contribuir para um blog melhor simplesmente comentando :D Para dúvidas, sugestões ou bater um papo, mande e-mail para agarotadalivraria@gmail.com