14 de julho de 2011

RESENHA | O Tamanho do Céu, Thrity Umrigar

383 páginas, Nova Fronteira
 
Thrity Umrigar, autora com mais de 250 mil livros vendidos somente no Brasil entre eles o best-seller "A distância entre nós", apresenta em seu mais novo romance, uma história sobre, amizade, amor e ternura. Onde um casal recebe uma proposta inesperada de emprego do outro lado do mundo, na Índia, onde terão suas vidas transformadas para sempre.
 
Uma palavra que defina meu estado após ler o livro? Pasma.
Uma palavra que defina o livro? Surpreendente.

Com essas palavras começo a resenha do livro O Tamanho do Céu. Este livro veio parar em minhas mãos graças a uma promoção do Submarino que eu não consegui resistir, sendo assim eu o li sem maiores pretensões. Eu admito que demorei a tirá-lo da estante, e o começo do livro realmente não me agradou. Era uma história muito densa, muito carregada de uma atmosfera triste e complicada.

Quando um desastre acontece, Frank e Ellie Benton veem a vida perfeita que haviam construído se estilhaçar. A casa de Michigan, nos Estados Unidos, se torna insuportável para ambos e seu casamento começa a naufragar. Mas uma inesperada proposta de emprego do outro lado do mundo vem lhes dar a chance de um recomeço. A vida na Índia acena-lhes com a ideia de estar em outro país, em meio a outra paisagem, sob outro céu, menos opressor, distante de tantas lembranças dolorosas.

Sim, a princípio é tudo muito complicado, e creio que por isso a história acaba demorando a fluir, parecendo que todos vão se afogar em suas próprias dores. Mas foi na narrativa desenvolvida a partir do Livro Dois (O livro é ordenado em cinco “livros”, que são divididos de acordo com a data a que os fatos contados se referem) que as coisas começam a me fazer dizer OMG! praticamente em todas as páginas.
 
A escritora tem uma forma tão singela e ao mesmo tão intensa de narrar que eu me vi imaginando o que iria acontecer, traçando possibilidades em minha cabeça sobre o rumo da história.

O livro é surpreendente porque não há como prever o que acontece, a autora consegue costurar os acontecimentos e deixar o leitor sem reação. Sua habilidade também se aplica a capacidade de nos fazer sentir raiva de algumas situações, confesso que eu quis entrar no livro e dar uns tabefes em certo personagem.

Contudo, mesmo surpreendente e emocionante, eu detestei o final.

Livro super recomendado para ler nas férias, sem compromisso. Porém eu não aconselho a quem está com problemas ou triste, acho um livro que realmente tem uma carga emocional muito forte. E proporciona muita confusão aos sentimentos de quem lê.
 
 
Você já conhecia a autora? Me conta aí nos comentários o que achou da resenha, se você já leu o livro (ou pretende) e o que achou :D

3 comentários:

  1. Olá, tudo bem ?

    Eu vi que a Lola seguiu meu blog e fui ver o perfil dela no blogger e vi que ela tinha também um blog então eu segui também e como vii que estava falando de livro eu vim aqui deixar a minha opinião *-*
    Então eu já li um livro da mesma autora, mas não lembro o nome, não é esse mesmo livro, porém ela também fala de uma história que ocorreu na Índia, baseada em fatos reais e então eu particularmente não gostei, pois não curto muito biografias e sinceramente demora muito para história fluir e tal.
    Pelo que você descreveu este livro, acho que o estilo de história dela é sempre o memo...

    Beijinhos flor !
    Cartas para Ficção

    ResponderExcluir
  2. Ah, você também fez resenha de "O tamanho do céu" *--* Pois é, eu também comprei na promoção, e também porque estava com muita vontade de lê-lo a um tempinho. Você gostou? Confesso que eu adorei. Imaginava um outro final e eis que quando chega na hora H acontece tudo diferente do que eu imaginava. Adorei a Thrity Umrigar, vou querer ler mais livros dela.

    @jaqueline_sds

    ResponderExcluir
  3. Oi Patrícia, tudo bem sim flor (: Sabe que nesse livro a Thrity me surpreendeu. Já li A doçura do mundo e não curti muito. Mas esse, torno a dizer, me surpreendeu muito ;) Comente sempre 0/ Beijos.

    Oi Jaqueline :) Eu gostei sim, mas o fim me deixou boba, eu queria que fosse diferente sabe? E sim, é tudo muito loco, quando tu ve as pontas soltas começar a se amarrar e PUM, acaba do jeito que acaba. Mas no geral tá aprovado sim ;) Beijão, obrigada por comentar 0/

    ResponderExcluir

Sua opinião alimenta minha criatividade, então você pode contribuir para um blog melhor simplesmente comentando :D Para dúvidas, sugestões ou bater um papo, mande e-mail para agarotadalivraria@gmail.com